Amigos Para Sempre


Matéria bacana no Jornal da Pampulha sobre adoção de animais.
E acabamos de buscar mais um amigo.
Um gatinho que estava na Cão Viver que fica pertinho de casa.
Nina escolheu um, entre tantos outros que precisavam de uma casa, e lhe deu o nome de Asmar.


Quem nunca viu As Aventuras de Azur & Asmar, vale a indicação.
Tem um livro muito lindo também, lançado pela Edições SM.

23 comentários em “Amigos Para Sempre

  1. Que bacana Fernanda!!!
    É importante quando pessoas formadoras de opinião como tu tomam essas atitudes. Certamente vais influenciar algumas outras boas almas a adotarem nossos amiguinhos de quatro patas.
    Eu como veterinária, acompanho o drama do abandono diariamente e não é fácil conseguir um lar para eles!!!!

  2. John, Fernanda e Nina,
    Atraves dessa gostaria de desejar um Feliz Natal e um maravilhoso 2011 extensivo a D.Silvia que e uma gracinha de pessoa!!! E continuem sempre fazendo o bem como a reportagem acima…
    Com carinho,
    Andrea

  3. Deveria haver uma maior conscientização das pessoas sobre procriação de gatos e cães. Também acho que deveria haver uma legislação sobre a venda de animais, e muito rígida. Enquanto isso não acontece, adotar os pobres animais é um caminho.
    Parabéns pela atitude.

  4. ótima atitude! os animais, assim como as pessoas merecem carinho e atenção.eu tenho 2 cães em casa,elas se chamam bonelli e vitória. FELIZ 2011 para o PATO FU E AMIGOS!! COM MUITA MÚSICA DE BRINQUEDO PARA TODOS!!!

    1. pipa teve uma parada cardíaca aos 8 anos…
      e totó fugiu numa chuva de granizo quando o portão eletrônico deu pane e se abriu sozinho. nunca mais o encontrei…
      : ((

  5. Fernanda! Mas, mas… que presentaço!! Tocar ao lado da Zélia Duncan, Martnália, da ELBA, diante de 70mil pessoas! Ta certo que tenha tocado pra 200mil uma vez, mas na posse da presidentA Dilma, ansiedade a mil! Poderia facilmente ser Pato Fu, curar minha ressaquinha da virada com aquela ‘calmaria’, mas a vibe do seu show solo é muito semelhante pro música de brinquedo – comparação difícil, hein…

    Começar 2011 assim é demaais! A presidente Dilma vai se amarrar e a cultura será seu braço direito durante todo esse momento de ‘chefa brasilis’ rsrsrsrsr! ah vai, tenho até orgulho e não me dou mesmo!! É amor pra mais de metro, mas pra durar kilômetros, tem que por num pote só, eita!

    Então é isso, ‘não alimente os animais!’ haha

    Feliz Ano Noovo à você, ao todo Pato Fu e que a história se preserve!
    : D

  6. Que seu 2011 juntamente com o Pato Fu seja repleto de realizações. Que sempre tragam novidades gostosas como a do último álbum para os fãs.
    Estarei sempre acompanhando o trabalho de vocês, onde quer q vocês estejam.
    Muita paz, saúde, amor e sucesso.
    Um grande beijo das fãs,

    Viviane e Mariana.

  7. Olá, Fernanda.
    Que saudade de vir aqui.
    Vim aqui para te deixar um presente. Publiquei em meu blog (www.olugardascoresescritas.com) uma resenha sobre o livro Nunca subestime uma Mulherzinha. Convido você e todos teus leitores para conhecer meu blog. Obrigada por tudo o que você é.
    Segue a resenha:

    Que letra linda tem Fernanda Takai
    Para quem está acostumado a escutar Fernanda Takai, vocalista da Banda Pato Fu, também terá a oportunidade de conhecer sua voz delicada escrita nos contos e crônicas de seu livro “nunca subestime uma mulherzinha”, com selo da Editora Panda Books.
    Tudo que conheço de Fernanda defino assim: coisas singelas. Em 2009, assisti ao show “Luz Negra”, em Joinville. Saí de lá com um livro autografado na bolsa. Vim pra casa e li de uma vez só a obra que tem as suas 135 páginas escritas com uma linguagem simples, poética, comovente e divertida. A delicadeza da impressão fica por conta dos pequeninos desenhos no final de cada conto e crônica, acompanhados pelas datas de quando a autora-cantora publicou nos jornais Estado de Minas e Correio Braziliense.
    A capa do livro é outra peculiaridade da obra. Uma espécie de esboço, desenhado à mão, do rosto de Fernanda em vermelho, azul e amarelo.
    Das histórias que li, tenho várias que releio, mas a que mais me emocionou foi a da ‘moça pequenina que ninguém vê’, que começa assim: “Ela acordava bem cedo todos os dias. Tomava seu cafezinho doce com pão de fôrma e manteiga, comia uma banana e saía apressada pro trabalho. Mas nunca chegava atrasada. Custou para achar aquele emprego. Ninguém acreditava que alguém daquele tamanho desse conta de tanto movimento. “Eu consigo”. “Eu posso.”Eu preciso”.”
    Já logo de início o conto me pegou. Tratava-se de uma personagem que tinha o requisito único de um anúncio de emprego publicado em um jornal de maior circulação do país: “Precisa-se de uma moça realmente pequena”. O emprego? Dentro de uma pequena máquina de tíquete de estacionamento. Conseguem imaginar o tamanho da moça? Não não, não a subestimem. Mas ela ó menor, bem menor que do que um anão, “é uma pessoa deste tamanho assim, ó!”
    Incrível o que Fernanda Takai acrescentou para a literatura brasileira. São diálogos surpreendentes sobre coisas – divididas em capítulos – que talvez tenham acontecido, coisas que aconteceram, coisas que fazem barulho, coisas que ninguém sabia, coisas que são raras e coisas que nem sei.
    Abraços,
    Jozi.
    O Lugar das Cores Escritas

      1. Obrigada, Fernanda. obrigada mesmo.
        Muitas portas se abriram pra minha escrita, depois que publiquei a essa resenha em um jornal de Santa Maria (RS).
        Só energia boa. Obrigada.
        Jozi
        O Lugar das Cores Escritas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s