25 thoughts on “Chez Olafur

    1. It’s an exhibition. Let me try humbly translate the text for you: “In his first solo exhibition in Latin America, the Danish-Icelandic artist Olafur Eliasson has 10 site-specifics works, which were developed by the artist in response to stimuli caused by the city of Sao Paulo. These are works that invite the public to experience the color perception, spatial orientation and other forms of engagement with reality. Facilities at SESC Pompeii, Belenzinho and the State Art Gallery. SESC Videobrasil and Cultural Association were created just for it. In SESC Pompeii, an old factory transformed into a cultural venue in the 1980s, concepts of Eliasson generous spaces are designed by Italian-Brazilian architect Lina Bo Bardi for living and enjoyment of the surrounding population. In designing the exhibition, which runs through galleries and outdoor areas, the work speaks to the various purposes of space – reflection, learning, leisure, spectacle. A set of works that involve color, light and smoke turns the living area, with 1,500 square meters in a maze of sensory experiences. In the adjacent exhibition area, set up as a movie theater, Eliasson experimenting with the concept of after image – the contraimagem that remains in the retina exposed to light – and with images of St. Paul, in a work created in collaboration with Brazilian filmmaker Karim Aïnouz.” Was it clear enough? Or do you want me to draw for you? Rs, rs, rs… 🙂 xxx, Mônica

      1. In my humble opinion, you were quite impolite with the question: “What a FUCK is that?”. I show who you are by the way of you use your language. Just in case… Don’t get me wrong, all right? 🙂

      1. Mas na minha resposta não sei se você reparou tem um erro: It shows who you are by the way you use your language. The bounderies of your language show the bounderies of your world! 🙂 Eu também Herro!!! Há, há, há… 🙂

      2. Todo mundo erra!!! E o meu erro foi a postagem inicial!!! A M é que não tem como apagar depois!!! Desculpem-me fãs de modo geral e principalmente a Fernanda e a Mônica…

      3. Gisele,

        Concordo em gênero, número, grau e pessoa com você; de não poder apagar o comentário depois. É muito chato mesmo. Eu sou impulsiva, falo o que posso e o que não posso e depois que escreveu? Registrou, tá registrado, né? 🙂 Abraços acadêmicos,

        Mônica

  1. Fernanda, não tem como você trazer essa exposição aqui para Belo Horizonte, não? É meio que frustrante saber que existe uma exposição tão intensa e não poderei ir… Rs. Se cuida. Mônica 🙂

    1. Giovani,

      Não sei se você já leu essa crônica da Fernanda, não é do Correio Braziliense de Brasília. É do Estado de Minas, de Belo Horizonte, datada de 21 de setembro de 2010. Rs. É só para você “matar as saudades”. Rs, rs, rs. Aqui vai:
      ” Verba extra

      João estudava num colégio puxado, mas sempre se saía bem com as notas. Não por se aplicar demais. Ele apenas prestava atenção nas aulas, fazia seus deveres e, sim, era inteligente. Seu racicíonio fluente o ajudava na solução de diversas questões. Orgulho da família, aquele caçulinha. Todos os dias comprava religiosamente na cantina um pacote de pipoca de arroz e um Grapette. Não mudava. E, com alegria de menino, se esbaldava com aquelas guloseimas. Pai ou mãe o apanhavam na saída, mas, para chegar ao colégio, pegava um ônibus do Sion para a Savassi e o troco era seu. O dinheiro que sobrava era contadinho pra esse fim. Pipoca e Grapette. Grapette e pipoca. Era só entregar o dinheiro que a moça da cantina já sabia o que lhe dar. “Obrigado!”. Ia pro canto do pátio degustar seu precioso lanche.
      Um dia, ele precisou ir ao dentista antes da aula e ficou muito atrasado. O seu pai lhe disse:
      – Pegue esse dinheiro e vá de táxi hoje.
      – Eu? De táxi? Sozinho?
      – Claro, você já tem idade para isso.
      – Mas tenho só 10 anos.
      – Vou chamar um carro do ponto aqui do bairro, não tem problema algum.
      – Tá bem.
      – Isso deve dar.
      – Pai, vai sobrar pro Grapette e a pipoca?
      – Vai sim. Pode descer que o táxi já vem.
      O menino saiu todo empolgado. Avistou o carro em frente à portaria do prédio. Entrou no veículo e entregou o dinheiro ao motorista.
      – Oi, menino! Depois você me paga, quando acabar a corrida.
      – É a primeira vez que ando sozinho de táxi.
      – Seu pai já me disse, é no Colégio Santo Antônio, né? Vamos lá!
      João se ajeitou no banco de trás, colocou o cinto de segurança, sempre uma recomendação da mãe. E foi observando a paisagem enquanto percorria o mesmo caminho que o ônibus fazia, só que agora bem mais rápido. Achou a vida boa. Quando faltavam apenas dois quarteirões para chegar ao colégio, o motor do táxi começou a ratear e o motorista teve que encostar para ver o que tinha ocorrido.
      – Menino, acho que foi a correia dentada… não posso continuar. Você consegue ir a pé daqui?
      – Sim, tá pertinho. Quanto deu?
      – Não vou cobrar nada desta vez, pode ir.
      – É mesmo?!
      – Vai lá pra não chegar atrasado.
      O garoto apertou a nota na mão, pegou sua mochila e disparou em direção ao colégio. Foi logo pensando no dinheiro extra que tinha agora. Chegou suado e feliz. Podia comprar mais coisas na cantina. Ou levar pra casa o gibi mais novo do Cebolinha que viu na banca outro dia. Ele até poderia guardá-lo no cofrinho que recheava há meses pra comprar um skate. Quantas possibilidades! Nesse dia nem prestou atenção direito na aula, só imaginando o que faria com o dinheiro do táxi que ele não usou. Chegou a hora do recreio e João foi até a cantina. Entregou a nota grande à moça, que estranhou o valor.
      – E hoje, o que vai ser?
      Subitamente, suas dúvidas sobre como gastar aquele dinheiro sumiram.
      – Dois Grapettes e duas pipocas, por favor!
      Pegou as guloseimas e se sentou no lugar de sempre. Tomou um, comeu outro. Quando foi repetir a dose, não passou da metade da segunda garrafa. O pacote de pipoca também sobrou. João, já bem enfadado foi oferecer o restante a um colega, que aceitou de pronto.
      Ele então voltou à sala com uma sensação estranha. Tinha aprendido sozinho alguma lição.”

      Espero ter matado parte das suas saudades pelas crônicas da Fernanda. E como diria Goëthe: “Uns fariam melhor, eu fiz o que pude!”. Até logo :),

      Mônica

    2. Giovani,

      Perdão por ter sido invasiva e ter respondido pela Fernanda. Acho que ela não vai se importar de ter uma fã tão intrometida, assim; não é mesmo? Ou será que vai? :(. Eu faço tudo o que está no meu alcançe para ajudar. Aliás, meu lema é “Se for para ajudar… Ajude. Agora, se não for; também não critique!”. Até,

      Mônica.

      Post Scriptum: Se eu tiver incomodado de alguma forma, não deixe de me avisar. Detesto fazer papel de palhaça! 😦

  2. Fernanda Takai canta Tom Jobim(Red Hot + Rio 2 – Tropicalia)
    ÁGUAS DE MARÇO… Delicia, por isso vou louco por ti TAKAI…
    DELICIOSO, e o final bem Pato Fu. Amei todo, por isso 🙂 AMO VCS….

    E foto é bem Bossa Nova, Belo Horizonte… Saudades de vc

    1. Quando fui procurar por esse vídeo olha só o que eu encontrei: http://www.youtube.com/watch?v=K6opTKfpvWM. Não é porque me locomovo por cadeira de rodas não, mas achei de uma delicadeza essa música… Eu também no começo devo admitir que não gostava do jeito do Pato Fú, mas eles me cativaram. E agora eu A-D-O-R-O eles, principalmente a Fernanda que segurou a minha bandeira, na hora em que eu mais precisei; sou extremamente grata a ela. 🙂

    1. Muito obrigada, Félix! A música ficou L-I-N-D-A mesmo. Perfeita harmonia entre os dois… Só não consegui ver a foto. Por que será, hein? Mesmo assim muito obrigada de ❤

  3. Quanto tempo Fernanda!!Espero que suas ferias tenham sido tao boas quantos as minhas que ja acabaram!!Sucesso em dobro para o ano de 2012!!Bjs, saudades!!!
    Andrea

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s